Feeds:
Posts
Comentários

Posts Tagged ‘steve winwood’

Clapton & Winwood

Clapton & Winwood

Vibrem amantes do blues, do rock e da guitarra! Eric Clapton e Steve Winwood estão novamente na estrada fazendo shows juntos! No dia 20 de maio iniciaram a turnê, tocando no Royal Albert Hall na Inglaterra. A dupla relembra o tempo em que tocaram juntos no Blind Faith, mas o repertório tem também um pouco da carreira de cada um.

O show ao vivo em 2008 no Madison Square Garden (NY) deu origem a um CD e um DVD (além de MP3 e blue ray). Aliás, o New York Times está sorteando um kit com CD, DVD, camisetas, banners e outros brindes; pra concorrer, acesse: http://ericclapton.com/nytimes-contest .

Eric Clapton

Eric Clapton

Mais sobre Eric Clapton…

Eric Patrick Clapton nasceu no dia 30 de abril de 1945 na Inlaterra. Ganhou sua primeira guitarra aos 13 anos e teve como influência o blues americano de artistas como Robert Johnson e Muddy Watters.

Em 1963, aos 17 anos, foi convidado pelo guitarrista Tom McGuiness para formar sua primeira banda, o The Roosters. O grupo fez algumas apresentações, e após isso, os dois se juntam ao The Engineers, que também não foi muito longe.

O reconhecimento de Clapton se inciou no Yardbirds, banda inglesa de grande influência que teve o mérito de reunir três dos maiores guitarristas de todos os tempos: Eric Clapton, Jeff Beck e Jimmy Page. Foi na banda que surgiu seu apelido, Slowhand. Apesar do sucesso que o grupo fazia, Clapton não admitia abandonar o blues e, em sua opinião, o Yardbirds estava seguindo uma direção muito pop, o que o levou a sair da banda em 1965.

No mesmo ano, John Mayall convida-o para fazer parte do Bluesbreakers. No grupo, Clapton construiu sua reputação como guitarrista e ganhou seu segundo apelido: “God” (Deus), devido à pixação de um fã que registrou nas paredes londrinas “Clapton is god!”. Gravam o álbum Bluesbreaker, mas a dificuldade de relacionamento com Mayall, leva Clapton a deixar o grupo pouco tempo depois.

Cream

Cream

Em 1966, forma o Cream com o baixista Jack Bruce e o baterista Ginger Baker. Fazendo turnês e lançando os álbuns Fresh Cream, Disraeli Gears e Wheels of Fire, a banda logo se tornou reconhecida e aclamada mundialmente. Mesmo tendo durado apenas dois anos, eles são considerados até hoje um dos mais influentes grupos de rock da era moderna. A banda se separa no fim de 1968 com mais brigas e discussões entre os integrantes.

Após o fim do Cream, Clapton fundou o Blind Faith com Steve Winwood, Ginger Baker, e Rick Grech. Foi um álbum e uma turnê desastrosa nos EUA, e mais uma banda se dissolveu.

Em 1970, um álbum ao vivo da turnê com Delaney & Bonnie é lançado e sai o primeiro álbum solo do guitarrista. Com dissidentes da banda, Clapton forma o Derek and The Dominos, lançando o sucesso Layla, uma declaração explícita à esposa de George Harrison. A banda se desfez após uma turnê americana, nem chegando a gravar um segundo álbum.

No início da década de 70, o fim do Dominos, a queda nas vendas do álbum Layla e o amor não correspondido levaram Clapton a se afundar cada vez mais no vício em heroína e álcool. O guitarrista fica vários anos longe na mídia, tentando se recuperar em clínicas.

Em 1974, Clapton volta com a regravação do reggae I Shot The Sheriff, tornando-se o responsável pelo lançamento de Bob Marley nas paradas mundiais. Inicia assim uma boa fase musical que rendeu também o clássico Cocaine em 1978. Durante a década de 80, a aceitação por parte do público foi crescente e em 1990, Clapton ganhou seu primeiro Grammy com a música Bad Love.

No ano de 1991, o filho Conor, de 4 anos, nascido de um relacionamento extra-conjugal, caiu do apartamento onde morava com a mãe e faleceu. Esse triste episódio foi registrado na canção Tears In Heaven que o guitarrista dedicou ao filho. A música teria seu lançamento no álbum Unplugged e acabou tornando-se o maior sucesso de toda a sua carreira. O disco acústico foi um sucesso absoluto e ganhou dezenas de prêmios, inclusive seis Grammys. Unplugged marcou ainda a volta de Clapton ao blues, que teria seqüência no álbum From The Craddle, um tributo aos clássicos que o influenciaram.

Em 1998, Clapton lançou o álbum Pilgrim, onde fala sobre todos seus dramas pessoais: a falta do pai, a morte do filho, os vícios e o amor perdido.

Em 2000, ele continuou sua devoção pelo blues, gravando o álbum Riding With The King com BB King, lenda do blues americano. No ano seguinte, lança o diversificado “Reptile”. A turnê do disco passou pelo Brasil: nas cidades de Porto Alegre, Rio de Janeiro e São Paulo. Aproveitando a boa fase, grava um álbum ao vivo e, em 2004, coloca nas lojas “Me and Mr. Johnson”, que traz versões de músicas de Robert Johnson. Em 2005 lança “Back Home” e, no ano seguinte, “Road To Escondido” em parceria com JJ Cale.

Anúncios

Read Full Post »