Feeds:
Posts
Comentários

Posts Tagged ‘Rock and Roll Hall of Fame’

kiss
D
e acordo com o New York Times, o Kiss está entre os 12 finalistas do Rock And Roll Hall Of Fame. Após serem ignorados durante anos, foram finalmente indicados, juntamente com: Abba, Donna Summer, Genesis, The Stooges, The Hollies, Jimmy Cliff, Darlene Love, Lauura Nyro and The Chantel, LL Cool J e o Red Hot Chilli Peppers.

Os votos serão dados por um grupo de mais de 500 músicos e profissionais da área; dos 12 indicados, os 5 mais votados serão anunciados em janeiro e adicionados ao Rock And Roll Hall Of Fame no dia 15 de março, na 25ª cerimônia anual no Waldorf-Astoria em Manhattan. As bandas se tornam admissíveis somente 25 anos após o lançamento de seu primeiro disco. A Fundação determina quais membros de uma banda são incluídos.

Durante uma entrevista na Billboard Touring Conference em novembro de 2008, Gene Simmons (baixista e vocalista do Kiss) expressou o seu descontentamento com o fato de que a banda, que ele co-fundou em 1972, não ter sido ainda indicada para o Rock And Roll Hall Of Fame. “Eu quero dizer isso educadamente,” ele disse. “Eles têm bandas disco, bandas de rap, bandas de folk iídiche no Rock And Roll Hall Of Fame, mas não o Kiss. Eu acho que nós temos mais discos de ouro nos Estados Unidos do que qualquer outro grupo, mas tudo bem”.

Em 2006, falando ao jornal The Baltimore Sun, Paul Stanley (guitarrista e vocalista do KISS) repetiu os sentimentos de Simmons dizendo, “Honestamente, o Rock And Roll Hall Of Fame é uma piada, e sempre foi. Eu acho que eles deveriam se envergonhar de algumas pessoas que eles indicaram. É um concurso de popularidade para um pequeno grupo de juízes ou o que quer que eles se denominem. Eles indicaram bandas que eles gostam e que venderam menos discos em suas carreiras do que eu vendi em uma semana, e que influenciaram muito pouca gente comparado ao que o Kiss fez. Kiss é um vírus que infectou a música do rock ao country e vice versa. Então se eles optaram por não nos indicar, eu não estou certo de que esse é um clube do qual eu queira fazer parte.

Saiba mais sobre o Kiss..

Gênero: Hard rock

Gene Simmons

Gene Simmons (vocal e baixo)

Formação: Nova York, 1973. Gene Simmons (baixo e vocal) e Paul Stanley (guitarra rítmica e vocal) estavam frustrados com o fim da Wicked Lester, banda que formaram. Procuraram, então, novos integrantes para montar outra banda. Através de anúncios chegaram a Ace Frehley (guitarra solo e vocal) e Peter Criss (bateria e vocal).

O início: O Kiss fez seus primeiros shows no New York Coventry Club. Já com os integrantes maquiados e trajados a seu estilo único e revolucionário, eles recebiam nestes shows U$ 35,00 por noite. Continuaram tocando músicas próprias pela noite de Nova Iorque, até que, em

1973, foram descobertos por Bil Aucoin. No mesmo ano, assinaram contrato com a recém-inaugurada Casablanca Records.

Primeiros discos: Em 1974, lançaram seu primeiro álbum entitulado apenas KISS, onde surgiram clássicos que a banda tocou por toda carreira. O primeiro disco, Hotter Than Hell, foi lançado no mesmo ano, mas não se destacou muito, assim como o segundo. Em 1975, lançaram Dressed To Kill, com composições da época da banda Wicked Lester, como Love Her All I Can e She (vídeo acima). O clássico Rock And Roll All Nite também é destaque no disco. Começou a partir daí o reconhecimento.

Alive!: Ainda em 1975 lançaram Alive!, álbum duplo e ao vivo, lhes rendeu um Disco de Ouro. O sucesso foi tanto, que anos depois a banda lançou Alive II, Alive III e Symphony: Alive IV. Este último foi gravado em um show com a Orquestra Sinfonica de Melbourne. No entanto, nenhuma das edições de Alive conseguiu superar o enorme sucesso da primeira.

Primeira vez no Japão: Em 1976, o Kiss entrou em estúdio para gravar Destroyer, outro grande sucesso, visto que, a essa altura todos os 3 primeiros discos já haviam ganhado o gosto dos fãs. O disco foi produzido por Bob Ezrin e trouxe os hits: Detroit Rock City, God Of Thunder e a balada Beth composta por Peter Criss. No segundo semestre do mesmo ano, lançaram Rock And Roll Over com os sucessos Hard Luck Woman e I Want You. A turnê do disco, levou o Kiss primeira vez para o Japão, país onde seriam idolatrados.

Kiss_4K_capaQuadrinhos do Kiss: Em 1977, lançaram Love Gun, álbum no qual Ace canta pela primeira vez no Kiss, a música é Shock Me. Em um dos shows desta turnê Gene mais uma vez queima o cabelo. No mesmo ano, lançaram Alive II, mais um ao vivo, mas com quatro músicas inéditas no lado B. Nessa época já haviam muitos produtos do Kiss. A Marvel Comics lançou uma revista em quadrinhos do Kiss onde, acreditem, a tinta vermelha usada para fazer a revista tinha o sangue de cada um dos membros do grupo.

Vaidade e desentendimentos: Em 1978 a banda alcança seu auge, dá um tempos nos shows e cada integrante decide lançar um álbum solo (mas ainda com a assinatura da banda), o que mostrava que o ambiente não era dos melhores e a vaidade de cada um falava mais alto na época. Esse foi o começo da saída de Peter Criss e Ace Frehley.

Anton Fig: Em 1979, durante a gravação de Dynasty, os integrantes

decidiram que Peter Criss não continuaria as gravações do álbum. Álcool e drogas eram a causa da exclusão. Anton Fig havia tocado no álbum solo de Ace e foi chamado como substituto. No entanto, esse fato não foi repassado aos fãs. Esse disco trazia o hit I Was Made For Loving You, que fez um enorme sucesso, apesar de desapontar fãs mais tradicionais da banda. No álbum seguinte, Unmasked, lançado em 1980, Peter não participou da gravação de nenhuma musica, e novamente, Anton Fig gravou em seu lugar. Peter Criss aparece tocando no videoclipe de Shandi e na capa de álbum, mesmo sem ter participado de nenhuma gravação. Logo após o lancamento do videoclipe, Peter Criss saiu da banda.

Eric Carr: No lugar de Peter entrou o baterista Eric Carr, que participou da turnê do disco. Esse álbum, assim como o anterior, foi altamente atacado por ser mais “pop” que os anteriores.

Mudança de posicionamento: Em 1981 o Kiss lança o criticadíssimo The Elder, mudando um pouco seu estilo e causando desagrado ao público em geral. Para rebater e evitar as críticas, o Kiss mudou radicalmente de posicionamento. Pela primeira vez desde seu surgimento, viu-se uma foto da banda com os integrantes de cabelos curtos e roupas mais discretas, mas ainda com as máscaras. Contrataram novamente o produtor Bob Ezrin. Ace e Eric não concordaram com o lançamento, diziam que não era Kiss. O álbum não teve turnê, limitando-se à duas músicas executadas ao vivo durante um programa de televisão. Até hoje, fãs debatem se esse é o pior ou um dos melhores álbuns da fase mascarada. Entre as músicas, tem-se The Oath e A World Without Heroes.

Vinne Vincent: Por insistência da gravadora, lançaram em 1982 a coletânea Killers, com 4 músicas inéditas. Um pouco antes das gravações de Creatures Of  The Night no mesmo ano, Ace Frehley (guitarra) sofreu um acidente de carro e não pode gravar.  Após o lançamento do álbum, Ace participou do videoclipe de I Love It Loud, mas o solo da música foi tocado por Paul Stanley. Ace saiu da banda por problemas de alcoolismo e drogas, sendo substituído por Vinnie Vincent, conhecido da banda que tocava no Creatures. Ele havia participado da composição de algumas músicas da banda e chegou a participar de uma das turnês do Kiss, que terminou em 1983 com três shows no Brasil.

O fim da maquiagem: Depois da turnê, o Kiss decidiu tirar a maquiagem e lançar Lick It Up. Em seguida, Vinnie saiu da banda e o guitarrista canadense Mark St. John entrou para gravar Animalize. No entanto, devido a uma artrite que provocava inchaço nas mãos e braços, ele não pôde gravar todas as músicas. Durante todo o tempo em que fez parte da banda, só conseguiu tocar um show inteiro. Mark St. John saiu definitivamente do Kiss e Bruce assumiu seu lugar.

Roupas coloridas: Essa época tem como ponto marcante as roupas extremamente coloridas, chegando a lembrar a banda Twisted Sister. Em 1985, lançaram Asylum, que teve a música Tears Are Falling. No mesmo ano, Gene criou sua gravadora, a Simmons Records. Depois de 1 ano sem lançar nenhum disco voltaram para o estúdio, gravaram Crazy Night, lançado em 1987 . Em 1988, o Kiss voltou ao Japão com a Crazy Nights Tour. Lançaram a coletânea Smashes, Thrashes & Hits, com duas músicas inéditas, Let’s Put The X In Sex e (You Make Me) Rock Hard. Em 1989, Paul saiu em turnê solo pelos EUA, tendo em sua banda Bob Kulick na guitarra e Eric Singer na bateria. Voltaram para o estúdio e lançaram Hot In The Shade que tem o hit Forever.

Morte de Eric: Em Abril de 1991, Eric Carr, que havia substituído Peter Criss, descobriu um raro tipo de câncer no coração. Seis meses após descobrir a doença, morreu, no mesmo dia de falecimento de Freddie Mercury, vocalista do Queen. Foi substituido por Eric Singer, que havia tocado na turnê solo do Paul Stanley. No álbum Revenge, a música God Gave Rock And Roll To You II possui os backing vocals gravados por Eric Carr. No álbum, havia uma homenagem ao baterista, a faixa de nome Carr Jam 1981, em que ele toca bateria e guitarra. Muitos consideram esse álbum o melhor desde Lick it Up.

De volta às origens: Em 1993, aproveitando a turnê de Revenge, lançaram mais um ao vivo, Alive III. Em 1995, a MTV convida o Kiss a fazer um álbum acústico, da série Unplugged da MTV. Gravado nos estúdios da Sony, o evento contou com a presença dos integrantes originas, Peter Criss e Ace Frehley. Foi aí que o Kiss percebeu que seria uma boa ideia voltar à formação original e às maquiagens. Assim, Gene, Paul, Peter,Ace e as maquiagens  saíram em uma turnê mundial que recebeu o nome de Alive WorldWide Tour. Em 1997, o Kiss lança Carnival Of Souls – The Final Session, mas ainda com Bruce e Singer. Psycho Circus, de 1998, volta com a formação original, e com uma nova turnê. A Psycho Circus Tour teve dois shows no Brasil, um em Porto Alegre e outro no Autódromo de Interlagos, em São Paulo.

Turnê de despedida: Em 2000, o KISS anuncia uma Farewell Tour, que seria a turnê de despedida da banda. No meio da turnê, Peter Criss teve que se ausentar por problemas de artrite, e em seu lugar voltou o ex-baterista da banda Eric Singer. Após a turnê, o Kiss decide fazer um novo álbum ao vivo junto com a Orquestra Sinfônica de Melbourne. Ace Frehley sai da banda e não participa do show. Em seu lugar, entra Thommy Thayer, que já havia produzido alguns albuns da banda. Peter Criss, já recuperado, volta para fazer o show. Devido ao imenso sucesso da tour, o Kiss entra para uma nova turnê, a Rock The Nation Tour, que rendeu  um DVD lançado em 2005. Gene e Paul tiraram, então, umas férias por 2 anos.

Guitarrista brasileiro: Em 2006, Paul Stanley lança seu segundo álbum solo, Live To Win e sai em turnê para divulgação. Uma curiosidade, um dos guitarristas que o acompanha nesta tour, é o curitibano Rafael Moreira, que com 18 anos saiu de Curitiba e se desenvolveu tocando guitarra nos EUA. O álbum teve boa repercussão.

Show no Brasil em 2009: Em abril deste ano, eles estiveram no Brasil, com a turnê que marca seus 35 anos no cenário do Rock n’ Roll.  O repertório: seus clássicos. Você perdeu? Então, confere aí uma breve cobertura do programa Showlivre.

Anúncios

Read Full Post »