Feeds:
Posts
Comentários

Posts Tagged ‘Arnaldo Antunes’

"Mistura de punk com Raul Gil"

"Mistura de punk com Raul Gil"

O iê iê iê, segundo Arnaldo Antunes, é um estilo que ficou no passado. Nem por isso, diz o músico, seu recém-lançado trabalho é saudosista. “A ideia era fazer o iê iê iê soar dentro do universo pop atual. Surgiu de uma vontade de resgatar o apelo imediato que as canções tinham.”

Surf music, jovem guarda, a primeira fase dos Beatles, trilhas dos filmes de faroeste, twist, Rita Pavone e programas de auditório também entram na composição desse universo, assim como os quadrinhos. A linguagem da HQ, aliás, é marcante no projeto gráfico do álbum. Já o cenário dos shows – a turnê de “iê iê iê” terá 17 apresentações a partir de sábado (12), em Belo Horizonte – é um grande mosaico de camisetas cujas estampas vão de Pelé a Iron Maiden.

Depois de dois discos gravados apenas com instrumentos de cordas, Antunes retorna agora a uma sonoridade mais dançante. “Além de evidenciar mais a voz, desta vez eu quis voltar a ter bateria na banda. Acho que assim o timbre da guitarra fica mais sujo, tem mais peso sonoro”, comenta.

O dono das baquetas, tanto em estúdio quanto ao vivo, é o multiinstrumentista Curumin. Chico Salem (violão e guitarra), Betão Aguiar (baixo), Marcelo Jeneci (teclados) e Edgard Scandurra (guitarra) completam o time.

A produção do álbum ficou a cargo de Fernando Catatau, da banda cearense Cidadão Instigado. “O Catatau trouxe uma experiência singular. Ele tem um jeito de pensar a música e uma pesquisa de timbres muito específica”, diz Antunes. “Além disso, ele deu sugestões criativas e surpreendentes para os arranjos.”

iê iê iê” é repleto de parcerias – uma única canção, “O que você quiser”, foi composta apenas por Arnaldo Antunes. Carlinhos Brown e Marisa Monte, parceiros nos Tribalistas, aparecem na faixa-título e em “Vem cá”.

Já os integrantes dos Titãs assinam com Antunes “Luz acesa” (Marcelo Fromer e Sergio Britto), “Sim ou não” (Branco Mello) e “Sua menina” (Liminha e Paulo Miklos). Até Ciro Pessoa, que fazia parte do grupo na época em que ele se chamava Titãs do Iê Iê, está em “Um quilo”.

As canções foram compostas na época da banda e tinham permanecido inéditas até hoje”, diz Antunes. “Já naquela época tínhamos essa coisa de misturar punk com Raul Gil.”

Na música Longe, o poeta-cantor fala do isolamento causado pelo imeadiatismo tecnológico. Sentimento e crítica revelam a reflexão que o artista visa instigar em suas canções. Confira o clipe.


Saiba mais sobre Arnaldo Antunes..

Nascido em 2 de setembro de 1960 é, além de músico, poeta e artista visual. Foi integrante do grupo de rock Titãs. Em 1978 ingressou na faculdade de  Letras da FFLCH-USP, onde seguiria, não fosse o sucesso dos Titãs lhe tomar todo o tempo entre shows, gravações, ensaios, turnês e entrevistas. Em novembro de 1985, foi preso juntamente com o colega de Titãs Tony Bellotto por porte de heroína. Arnaldo passou 26 dias preso e foi condenado por tráfico de drogas.

Desligou-se da banda em 1992, mas continuou compondo com os demais integrantes do grupo e várias dessas parcerias foram incluídas em discos dos Titãs, assim como em seus discos solo.

Em 2002, formou  o trio Tribalistas em parceria com Marisa Monte e Carlinhos Brown. Também trabalhou como ensaísta na Folha de São Paulo, deixando evidente o substrato teórico que transparece em seu trabalho estético. Lançou em 2007 o primeiro DVD de sua carreira, o Ao Vivo No Estúdio, que conta com as participações de Nando Reis (ex-titãs) , Branco Mello (titãs) ,  Edgard Scandurra (Ira!) e dos tribalistas Marisa Monte e Carlinhos Brown.

Anúncios

Read Full Post »